Bebida e obesidade


O álcool fornece uma grande quantidade de energia. Para termos uma ideia, um grama de carboidratos fornece 4 kcal assim como a proteína. A gordura, para cada um grama fornece 9 kcal. Já o álcool para a mesma quantidade, um grama fornece 7 kcal. Assim ele é mais energético que carboidratos, proteínas e perde apenas para a gordura.

Frequentemente ouço amigos dizerem que todas as vezes que abusam da bebida alcoólica, reduzem a ingestão de alimentos contendo carboidrato. O fato é que o processamento do álcool em nosso organismo é altamente concorrente com o processamento dos carboidratos. Isso quer dizer que, quando bebemos, reduzimos nossa capacidade de fornecer glicose para o nosso organismo. Isso tanto é verdade que, em situações de grande ingestão de álcool que resultam em coma alcoólica, por exemplo, o procedimento consiste em injetar glicose na veia. O fígado processa 90% do álcool ingerido utilizando como substratos as mesmas substancias que servem para produzir glicose. Assim, se a ingestão de álcool for elevada, faltará substrato para gerar glicose em nosso organismo, tendo como consequência a baixa concentração de glicose no sangue, conhecida como hipoglicemia. Nosso cérebro possui como nutriente preferencial a glicose e, na carência desse nutriente, experimentaremos confusão mental podendo chegar a perda de consciência.

Outro ponto a ser revelado nesse texto é que o álcool, ao ser processado no fígado, favorece a síntese de gordura hepática e exerce grande influência sobre os mecanismos de controle da ingestão de alimentos promovendo a fome. Lembro dos mais antigos, dizendo que o álcool estimula o apetite. O que eles diziam pela observação empírica é hoje de conhecimento científico.

Os nutrientes então que podem ser reduzidos, em situações de grande ingestão alcoólica, são os alimentos ricos em lipídeos, como frituras, queijos, carnes e etc. Esses favorecerão, juntamente com o álcool, a deposição de gordura e, como resultado, engordaremos.

O que a ciência demonstrou é ainda mais contundente. Quando ingerimos o álcool, diminuímos a oxidação de gordura, assim como reduzimos a informação de saciedade, estimulando a ingestão de alimentos. Assim, quando bebemos, nossa capacidade de queima de gordura se reduz, elevando a fome e a deposição de gordura em nosso corpo.

Então, quando for beber, escolha a moderação e lembre-se de não privar seu corpo de alimentos contendo carboidratos evitando aqueles ricos em gordura

 

Por Antonio Herbert Lancha Jr – Vitria Seguros

Bacharel em Ed. Física – USP
Mestrado e Doutorado em Nutrição – USP
Pós- doutorado em Medicina Interna – Washington University

 


Artigos Relacionados

Escrito por Mara em 30/06/2021

LER MAIS

Escrito por Mara em 30/06/2021

LER MAIS

Escrito por Mara em 28/06/2021

LER MAIS

Escrito por Mara em 28/06/2021

LER MAIS

Escrito por Mara em 23/06/2021

LER MAIS